Terapia Cognitivo-Comportamental – Um pouco da história

Terapia Cognitivo-Comportamental

A Psicoterapia Cognitivo Comportamental teve início na década de 50, o foco clássico denominada Teoria Comportamental, o objetivo era a mudança dos comportamentos, seguia como base o modelo pavloviano, fundamentado na análise das contingências os comportamentos eram operados a partir de “recompensas”.  Apesar das inúmeras críticas recebidas na época é utilizada para promover mudanças comportamentais.Na década de 60, quando ocorreu a Revolução Cognitivista. Nesta fase com forte influência de Beck e Ellis, foi proposta a Terapia Racionalista, onde se interpreta a reestruturação cognitiva (crenças) e a terapia cognitivo-comportamental.  A proposta central é a mudança do pensamento. Hoje conhecidas como TCC – Terapia Cognitivo-Comportamental (Beck) e TREC – Terapia Racional Emotiva Comportamental (Ellis).

Entende-se que o humor é causado por pensamentos automáticos, os quais são embasados em crenças irracionais adquiridas desde a infância, as quais são cristalizadas ao longo da vida.

Durante o processo terapêutico, o paciente adquiri conhecimento de como ele funciona diante das situações consideradas problemáticas, através de técnicas e reflexões compreendendo quais as crenças que fundamentam seus pensamentos, sentimentos e comportamentos.

A partir da conscientização do seu funcionamento e crenças utilizadas, é possível promover mudanças em sua forma de pensar e consequentemente dos seus sentimentos e/ou comportamentos, trazendo melhoras em sua qualidade de vida.

Tanto a Terapia Cognitivo-Comportamental, assim como a terapia comportamental pura, procura ser uma teoria científica.

As técnicas utilizadas propõe ao paciente proposta de pensar cientificamente, trazendo evidências, através de fatos e dados, checando hipóteses, não assumindo como verdadeiro nada sem as evidências e fatos que comprovem as hipóteses. Quanto mais cientificamente pensarmos, menos vamos sofrer.

Desde a década de 90, a Terapia Cognitivo-Comportamental tem se fortalecido no Brasil, pois os tratamentos são baseados em evidências.

Desde 1977, a Terapia Cognitivo-Comportamental tem sido testada quando foram publicados os primeiros estudos científicos. Estudos científicos demonstram a eficácia da Terapia Cognitivo-Comportamental para uma ampla gama de transtornos psiquiáticos, problemas psicológicos e problemas médicos com componentes psicológicos.

Seguem alguns transtornos tratados pela Terapia Cognitivo-Comportamental: Trantorno Depressivo, Transtorno de Ansiedade Generalizada, Transtorno de Pânico, Fobia Social, Transtorno Obsessivo-Compulsivo, Transtorno da Conduta, Abuso de Substância, Transtornos da Alimentação, Transtornos de Personalidade, Transtorno Bipolar (com medicação) e outros.

Problemas Psicológicos tratados com sucesso com a Terapia Cognitivo-Comportamental, Problemas Conjugais, Problemas Familiares, Raiva e Hostilidade, e outros.

Márcia Lopes (Psicóloga, Psicoterapeuta Cognitivo-Comportamental, Coach e Consultora RH)

Márcia Lopes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *